Total de visualizações de página

terça-feira, 28 de junho de 2011

DiStRaÇãO...

''A SOLIDÃO DESOLA-ME; 
A COMPANHIA OPRIME-ME. 
A PRESENÇA DE OUTRA PESSOA DESENCAMINHA-ME OS PENSAMENTOS; 
SONHO A SUA PRESENÇA COM UMA DISTRAÇÃO ESPECIAL, 
QUE TODA A MINHA ATENÇÃO ANALÍTICA NÃO CONSEGUE DEFINIR.''

(FERNANDO PESSOA)



DeNtRo Do MaR tEm RiO

"Dentro do mar tem rio...
Dentro de mim tem o quê?
Vento, raio, trovão
As águas do meu querer

Dentro do mar tem rio...
Lágrima, chuva, aguaceiro
Dentro do rio tem um terreiro
Dentro do terreiro tem o quê?

Dentro do raio trovão
E o raio logo se vê
Depois da dor se acende
Tua ausência na canção

Deságua em mim a paixão
No coração de um berreiro
Dentro de você o quê?
Chamas de amor em vão

Um mar de sim e de não
Dentro do mar tem rio
É calmaria e trovão
Dentro de mim tem o quê?

Dentro da dor a canção
Dentro do guerreiro flor
Dama de espada na mão
Dentro de mim tem você

Beira-mar
Beira-mar
Ê ê beiramar
Cheguei agora
Ê ê beira-mar
Beira-mar beira de rio
Ê ê beira-mar..."


quinta-feira, 23 de junho de 2011

segunda-feira, 20 de junho de 2011

VoLtO qUeM sAbE uM dIa...


"Suspenderam a viagem
Fui parar em outro trem
Que beleza de paisagem
Fomos rumo a Belém

Agora que é tempo
Colher fruta madura no vento
Pequi não sai do meu pensamento
Bacia cheia de manga bourbon

Nasce um sol, nasce uma noite
E um menino também vem
Que beleza de paisagem
É meu filho e passa bem

Agora é tarde, não dá para adiar a viagem
João tem três anos de idade
Não quero merecer outro lugar

Volto quem sabe um dia
Porque os trilhos já tiraram do chão
Olho as tardes, vivo a vida
Nada é em vão..."



domingo, 29 de maio de 2011

Na VoLtA qUe O mUnDo Dá




“Um dia eu senti um desejo profundo 
De me aventurar nesse mundo 
Pra ver onde o mundo vai dar

Saí do meu canto na beira do rio
E fui prum convés de navio
Seguindo pros rumos do mar (...)

Com o tempo 
Foi dando uma coisa em meu peito
Um aperto difícil da gente explicar

Saudade não sei bem de quê 
Tristeza, não sei bem por que
Vontade até sem querer de chorar

Angústia de não se entender
Um tédio que a gente nem crê
Anseio de tudo esquecer e voltar..."

domingo, 22 de maio de 2011

DeSpEdIdA

"Olha aqui
Preste atenção
Essa é a Nossa Canção
Vou cantá-la seja aonde for
Para nunca esquecer
O nosso Amor..."


domingo, 8 de maio de 2011

Eu SoU sÓ uM... mAs NãO sOu Um DeLeS




E assim, depois de um tempo a gente se encontra... e relembra o que viveu, o que passou, o que ficou! Lembranças, fotografias, sensações.  E parece que foi ontem que estivemos lá, ao relento,  tomando vinho para espantar o frio e aquecer o coração. Às vezes falta um amigo, outras são completadas por outro que há muito não nos esbarrávamos... mas não importa, porque amigo que é amigo, vai estar junto, mesmo que na ausência. Sabes por quê? Porque ainda assim seremos amigos e entenderemos que não há ausência quando o que fica representa presença, saudade e amor! Amor que transborda ao som de música e violão. E não nos importa se é tarde, se está frio (se Júlio quer ir embora! Rsrs). Importa-nos a presença que cada um representa (ou representou). Importa-nos a saudade que fica em forma de amizade, em presença de amor fraterno, afinal “amigo é bem mais que presença. Vai muito além de um simples tocar. Amigo é bem mais que palavra, é a inspiração que brota em meu coração... Eu não vou sentir tua ausência aqui, pois o teu coração presente está em mim. Mas não vou negar que tua falta me traz um aperto no coração..."

Eu sou só um

“Nessa época do ano
Quando o frio vem chegando
E há menos flores
Que espinhos

Os dias perdidos têm a luz
Ainda éramos filhos
Éramos amigos

Até sermos engolidos
Pela vida sem brilho
Por nossos inimigos
Na rotina comum

Mas não sou um deles
Eu sou só um
E mesmo que pareça
Tolo e sem sentido
Eu ainda brigo
Por sonhos
Eu ainda brigo
Ainda brigo...




sábado, 23 de abril de 2011

SaUdAdE é O aMoR qUe FiCa...

"Saudade não é o que a gente sente quando a pessoa vai embora. Seria muito simples acenar um ‘tchau’ e contentar-se com as memórias, com o passado. Saudade não é ausência. É a presença, é tentar viver no presente. Saudades são todas as coisas que estão lá para nos dizer que não, a pessoa não foi embora. Muito pelo contrário: ela ficou, e de lá não sai. A ausência ocupa espaço, ocupa tempo, ocupa a cabeça, até demais. Saudade não é olhar pro lado e dizer “se foi”. É olhar pro lado e perguntar “cadê”?  E dói..."


sexta-feira, 4 de março de 2011

SoBrE cLaRiCe LiSpEcToR


"Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento."

"Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo."

"Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida."

"É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo.
Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, somando as compreensões, eu amava. Não sabia que, somando as incompreensões é que se ama verdadeiramente. Porque eu, só por ter tido carinho, pensei que amar é fácil."

"Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar."

"Mude,
Mas comece devagar,
Porque a direção é mais importante
Que a velocidade.

Sente-se em outra cadeira,
No outro lugar da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.

Quando sair,
Procure andar pelo outro lado da rua.
Depois, mude de caminho,
Ande por outras ruas,
Calmamente..."


Quem dera eu pudesse decifrar Clarice! Poder decifrar tamanha essência seria magnífico, porém satisfaço-me em poder ser presenteado com tua escrita... sincera, emocionante, digna! Uma mistura de realidade e fantasia. Sem palavras!
"Entender Clarice trascende qualquer realidade... Mulher de vida cotidiana, dona de casa, mãe , esposa, escritora oculta, conseguia ver o mundo com outros olhos e a interpretá-lo com outro coração. Escrever para ela parecia ser uma transfiguração do sentimento e a palavra a concretização do fato. Pois nas entrelinhas, existia alma!"

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

FeLiCiDaDe


"Se o tempo envelhecer o seu corpo,

mas não envelhecer a sua emoção,


você será sempre feliz."

(Augusto Cury)


terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

PaUlA fErNaNdEs

Deixo aqui minha apreciação pela cantora Paula Fernandes, que lançou seu primeiro DVD ao vivo com canções compostas por si mesma e outras de grande sucesso no ramo sertanejo. Vale a pena conferir mais este trabalho excepcional da cantora. Nota 10!



QUERO SIM


Eu tô com saudades
Da nossa amizade
Do tempo em que a gente
Amava se ver
Eu não sou palavra
Eu não sou poema
Sou humana pequena
A se arrepender

Às vezes sou dia
Às vezes sou nada
Hoje lágrima caída
Choro pela madrugada
Às vezes sou fada
Às vezes faísca
Tô ligada na tomada
Numa noite mal dormida

Se o teu amor for frágil e não resistir
E essa mágoa então ficar eternamente aqui
Estou de volta a imensidão de um mar
Que é feito de silêncio
Se os teus olhos não refletem mais o nosso amor
E a saudade me seguir pra sempre aonde eu for
Fica claro que tentei lutar por esse sentimento

Diga sim ouça o som
Prove o sabor que tem o meu amor
Cola em mim a tua cor
Eu te quero sim sem dor
Diga sim...

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

SoBrE a LeNdA dE nArCiSo




“Conta a lenda que Narciso era um rapaz que todos os dias se debruçava nas margens de um lago para contemplar  sua beleza. Era tão fascinado por si mesmo que certa manhã, caiu no lago e morreu afogado. No lugar onde caiu surgiu uma flor, que chamaram de Narciso.
Mas dizem que quando Narciso morreu, vieram as deusas do bosque e viram o lago , que antes era de água doce, transformado num lago de lágrimas salgadas.
_ Por que você chora? _ Perguntaram as deusas.
_ Choro por Narciso _ Respondeu o lago.
_ Ah, não nos espanta que você chore por Narciso_ disseram as deusas. _ Afinal de contas, apesar de sempre corrermos atrás dele pelo bosque, você era o único que contemplava de perto sua beleza.
_ Mas Narciso era belo? _perguntou o lago
_ Quem melhor que você poderia saber disso? _ disseram, surpresas, as deusas. _ Afinal de contas, era nas suas margens que ele se debruçava todos os dias para contemplar-se!
O lago ficou quieto por algum tempo. Por fim, disse:
_ Choro por Narciso, mas jamais notei que ele era belo. Choro porque, todas as vezes que ele se debruçava sobre minhas margens, eu podia ver _ no fundo dos seus olhos _ a minha própria beleza refletida.”


***



Sempre admirei a lenda de Narciso. Interessante constatar que o lago jamais notara a beleza de Narciso. Penso como muitas pessoas querem se refletir no próximo a fim de se assemelhar a ele, independente da situação ou condições propostas. E na maioria das vezes, são traídas por si mesmas, porque querem se ver refletidas no outro mas se esquecem de que o reflexo é aquele que revela a si próprio e não o outro. Muitos se perdem num emaranhado de comparações e se frustram, incapazes de enxergar a si mesmo primeiro, com seus defeitos, manias e cobranças.  Deposita-se no outro aquilo que deveria, em primeiro lugar, ser depositado em si mesmo. Enaltece a beleza alheia e se submete a esconder-se por detrás da própria personalidade, e quando são colocados diante de si mesmos, quando são desmascarados pela própria essência, culpam o outro. Narciso era belo. O lago era belo. Prova de que cada pessoa tem sua beleza, e esta pode ser refletida de diferentes maneiras, em situações adversas, mas o que se deve guardar é que independente disso, a beleza tem de ser sua primeiro. No final será você contra você mesmo. Enxergue nos outros a sua beleza e reconheça a beleza alheia também. Só não confunda o reflexo.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

EsCoLhA dE oNtEm


"Fico pensando se não somos tão carentes ao ponto de não viver melhor sem alguém. E há tanto medo de não ser escolhido, e de ser escolhido e ser trocado, ou ainda de não ser escolhido totalmente, ou de escolher e viver achando que essa escolha é uma prisão. Mas eu lembro de nós dois, enquanto penso nisso tudo, do nosso pacto pelo total aproveitamento diário, essa liberdade quase imposta de saber-se poder ir embora quando não for mais tão essencial. Eu lembro que se estamos juntos é porque, todos os dias, ao acordar e nos olharmos tão frágeis, tão fortes, tão vulneráveis, tão entregues, nós fazemos novamente a escolha de ontem, e cumprimos o resto do dia alimentando esse 'estarmos juntos' com intensidade e delicadeza. Eu fico pensando nos nossos ajustes e na vontade que temos de sabedoria em meio a toda essa embriaguez da paixão. E acho que se esse ainda não é o caminho certo, pelo menos, é o mais bonito por enquanto. E o que me deixa mais inteiro, a cada passo. E fico pensando enquanto avanço: eu amo construir a mesma estrada com você... Eu amo morar no teu abraço." 
(M. Queiroz)

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

SeJa VoCê MeSmO



Eu sou criança. E vou crescer assim. Gosto de abraçar apertado, inventar mundos, inventar amores. O simples me faz rir, o complicado me aborrece. O mundo pra mim é grande, não entendo como moro em um planeta que gira sem parar, nem como funciona o fax. Verdade seja dita: entender, eu entendo. Mas não faz diferença, os dias passam rápido, existe a tal gravidade, papéis entram e saem de máquinas. Ninguém sabe ao certo quem descobriu a cor. (Têm coisas que não precisam ser explicadas. Pelo menos para mim). Tenho um coração maior do que eu, tenho o tamanho de um sonho. E o sonho escreve a minha vida, que às vezes eu risco, rabisco, embolo e jogo debaixo da cama (pra descansar a alma e dormir sossegado).
Coragem eu tenho um monte, mas medo eu tenho poucos. Tenho medo de Jornal Nacional, de cobra venenosa, de maionese vencida. Rsrs! Tenho medo das pessoas e tenho medo de mim. Minha bagunça mora aqui dentro, pensamentos dormem e acordam, nunca sei a hora certa. Mas uma coisa eu digo: eu não paro. Perco o rumo, ralo o joelho, bato de frente com a cara na porta: sei onde quero chegar, mesmo sem saber como. E vou. Sempre me pergunto quanto falta, se está perto, com que letra começa, se vai ter fim, se vai dar certo. Sempre questiono se você está feliz, se eu estou feliz, se eu estou bonito, se vou ganhar estrelinha, se eu posso levar para casa, se eu posso te levar para mim. Não gosto de meias-palavras, de gente morna, nem de amar em silêncio. Aprendi que palavra é igual oração: tem que ser inteira senão perde a força. E força não há de faltar porque – aqui dentro – eu carrego o meu mundo. Sou menino levado, sou criança crescida com contas para pagar. E mesmo pequeno, não deixo de crescer. Trabalho igual gente grande, fico sério, traço metas. Mas quando chega a hora do recreio, ai vou eu... Escrevo escondido, faço manha, tomo sorvete no pote, choro quando dói, choro quando não dói. E eu amo. Amo igual criança. Amo com os olhos vidrados, amo com todas as letras. A-M-O. Sem restrições. Sem medo. Sem frases cortadas. Quer me entender? Não precisa. Quer me fazer feliz? Me dê um livro, uma coruja, um chocolate, um bilhete, um brinde que você ganhou e não gostou, uma mentira bonita pra me fazer sonhar. Não importa. Todo dia é dia de ser criança e criança não liga pra preço, pra laço de fita e cartão com relevo. Criança gosta mesmo é de beijo, abraço e surpresa...

GrEiCe IvE


Deixo aqui a letra de uma música de uma das cantoras que marcaram o final de 2010 com seu jeito simples, suave e elegante de fazer e cantar a música popular brasileira. Para quem não a conhece, vale a pena conferir: GREICE IVE



AtÉ vOcÊ pAsSaR

O que a gente vai fazer com essa paixão
Distraído coração
Eu fiz festa pra esse amor a noite inteira
E amanhece a ilusão.
Nada, sombra e silêncio
Hoje eu vou ficar aqui até você passar.
O que a gente vai fazer com essa paixão
Distraída solidão
Que passeia em frente a minha lua cheia
Sem deixar sombras no chão.
Nada, sombra e silêncio
Eu não vou sair daqui até você passar.

Nenhum sinal, nenhum recado

Hoje é melhor deixar o amor fora do ar
Tudo acontece, eu sei
Tudo se entende
E de repente tudo volta pro lugar.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011